Universitários organizam feira para contar a história do carnaval

Posted on 12/11/2015

0


Evento foi planejado por alunos de três turmas diferentes da faculdade Estácio de Sá

Feira foi organizada pelos alunos dos cursos de Eventos, Turismo e Moda / Laryssa Reis

Feira foi organizada pelos alunos dos cursos de Eventos, Turismo e Moda / Laryssa Reis

Falta pouco tempo para o carnaval, mas os alunos da Centro Universitário Estácio BH decidiram investigar um pouco mais sobre as origens dessa tradicional festa. As turmas do 4º período do curso de Gestão de Eventos, Turismo e Design de Moda organizaram, na noite dessa quinta-feira (12), a feira Areté: retratos da brasilidade, evento que contou um pouco mais da trajetória da folia ao redor do mundo, passando pela tradição europeia, até se transformar em uma das manifestações culturais mais expressivas do nosso país.

Seis galerias narraram a história da folia em diferentes lugares do mundo / Laryssa Reis

Galerias narraram a história da folia em diferentes épocas / Laryssa Reis

Embora o carnaval pareça uma festa tipicamente brasileira, sua origem remota à Antiguidade. E coube às turmas envolvidas na organização do evento narrar a história dessa festa pagã. A feira foi dividida em seis galerias, cada uma apresentando um momento carnavalesco específico, dos tradicionais bailes de máscara de Veneza aos luxuosos desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro. Até mesmo o resgate do carnaval belo-horizontino, que saiu do ostracismo há pouco tempo, ganhou destaque.

A origem do nome da feira, Areté, é uma alusão ao trabalho desenvolvido pelos alunos ao longo de quatro meses de planejamento. A palavra tem origem grega e significa adaptação perfeita, excelência, virtude. Também pode estar ligada à noção de cumprimento do propósito ou da função a que o indivíduo se destina. E a responsabilidade de organizar a feira ficou a cargo das turmas de Gestão de Eventos, Turismo e Design de Moda, que participou pela primeira vez do evento.

De acordo com o coordenador do curso de Gestão de Eventos, Bruno Scarpelli, a atividade estimula os alunos a colocarem em prática tudo aquilo que é visto em sala de aula. Para ele, a junção dos três cursos foi uma forma aproximar a turma da realidade do mercado de trabalho. “Eles precisaram correr atrás de patrocínio, planejar e executar todo o evento. Então, isso é muito bom para o aprendizado e a formação do aluno, já que é exatamente isso que eles vão precisar fazer quando se formarem”, disse.

Tradição brasileira foi um dos destaques da feira / Laryssa Reis

Tradição brasileira foi um dos destaques da feira / Laryssa Reis

No intervalo da feira, a turma do curso de Design de Moda preparou uma surpresa para os visitantes: um desfile com trajes típicos do carnaval ao longo dos séculos. Máscaras, fantasias de Pierrô, Arlequim e Colombina encantaram o público. Segundo a coordenadora do curso, Flávia Aquino, “a transdisciplinaridade deste evento é o mais importante para os alunos. São pessoas diferentes, com ideias diferentes, pensando juntas para conseguir executar a feira da melhor forma possível”, apontou.

Anúncios
Posted in: Cultura, Moda