Festival É Tudo Verdade aposta na pluralidade de documentários

Posted on 23/07/2014

0


Itinerância em Belo Horizonte conta com homenagem a Helena Solberg e traz 11 trabalhos de diretores nacionais e estrangeiros

Homem Comum, de Carlos Nader / Divulgação

Homem Comum, de Carlos Nader / Divulgação

Os amantes do cinema já têm programação garantida para o fim da semana em Belo Horizonte. A capital mineira recebe a itinerância festival É Tudo Verdade 2014 – 19º Festival Internacional de Documentários. A pouco mais de um ano de comemorar duas décadas, o evento tem se configurado como uma vitrine para o universo documental. Nesta edição, a capital mineira recebe, de 24 a 27 de julho, no Oi Futuro, 11 trabalhos de diretores nacionais e estrangeiros.

Pluralidade e resgate da memória cinéfila dão a tônica desta terceira edição do festival em Beagá. Considerado o principal evento latino-americano dedicado à produção não-ficcional, o É Tudo Verdade 2014 reúne obras que dialogam com os atuais reclames sociais e, ao mesmo tempo, mantêm vivo o trabalho de cineastas que sempre exploraram a potencialidade do gênero documentário.

Um deles é o japonês Shohei Imamura, diretor japonês vencedor de duas Palmas de Ouro, no festival de Cannes, e que ganha duas sessões. “Um Homem Desaparece” (1967) e “Karayuki-san: A Fabricação de Uma Prostituta” (1975) serão exibidos em sequência, no sábado, 26. O diretor do festival e crítico de cinema, Amir Labaki, explica que os cinéfilos “vão ter a chance de conhecer a fase documental do diretor japonês”.

Da produção nacional, o grande destaque é a trajetória da cineasta paulista, Helena Solberg, homenageada na retrospectiva brasileira do evento. Ela é a convidada da itinerância mineira, e vai participar da exibição das sessões de dois filmes: “A Conexão Brasileira: A Luta Pela Democracia” (1982-93) e “Vida de Menina” (2004). Ela também participa de um debate especial, ao lado da curadoria do evento. “Ela ficou por três décadas fora do país. E, durante esse período, produziu documentários que merecem ser vistos”, destaca Labaki.

O É Tudo Verdade 2014 foi realizado em abril, na cidade de São Paulo. No total, 77 filmes de 26 países integravam a programação. Apesar de receber um número bem menor de documentários, a itinerância em Belo Horizonte, norteia os rumos que o festival tem tomado na cidade. Para Amir Labaki, o perfil de cada cidade aponta o desafio da curadoria. Em Belo Horizonte, “as pessoas têm um apreço muito grande pela estética de cada filme. Por isso, há um grande cuidado em selecionar o que nós vamos oferecer para os mineiros”, argumenta.

Dentre os 11 eleitos para Beagá, destaque para o vencedor da competitiva nacional, “Homem Comum”, de Carlos Nader. A obra é um relato intenso de Nilson de Paula, um caminhoneiro que o diretor acompanhou, em 1996, durante um período turbulento pelo qual passava com sua família. Outro destaque é o campeão internacional, “Jasmine”, do francês Alain Ughetto, que narra a história de amor com a ajuda de filmes super-8, animação argila, fotografias e cartas que rememoram o relacionamento do diretor com uma iraniana.

Diferentes linguagens – A edição mineira do É Tudo Verdade também contempla um debate entre a homenageada Helena Solberg e o diretor do festival, Amir Labaki. O bate-papo ocorre no sábado, às 17h, no Oi Futuro. Em seguida, a jornalista Mariana Tavares lança o livro “Helena Solberg: Do Cinema Novo ao Documentário Contemporâneo”. A publicação é um complemento da tese de mestrado de Marina.

“Ela começou a chamar minha atenção por ter sido a única mulher a participar do movimento Cinema Novo. Além do mais, existe uma lacuna muito grande entre tudo o que a Helena tem representado para o cinema brasileiro e as referências sobre o trabalho dela. Com esse trabalho, eu tentei preencher o vazio que existe na pesquisa a respeito da trajetória da cineasta”, diz.

Resultado de quatro anos de entrevistas e estudos profundos sobre as 15 obras da cineasta, o livro de Mariana é um presente não só para a diretora, mas, também, para quem é apaixonado pelo cinema nacional.

Confira a programação completa:

24/7, quinta-feira
20h: Homem Comum

25/7, sexta-feira
16h: Jasmine
18h: Gasoduto
20h30: 20 Centavos

26/7, sábado
16h: A Conexão Brasileira
18h: Um Homem Desaparece
20h30: A Fabricação de uma Prostituta

27/7, domingo
13h: Vida de Menina
16h: Retorno A Homs
18h: Ai Wei Wei – O Caso Falso
20h: Aldeia De Alao

Anúncios
Posted in: Cinema