Gastronomia para desenvolver habilidades

Posted on 19/11/2013

0


Sou Café recebeu mais uma edição do “Empreendendo como Chefe” evento gastronômico com foco nos conceitos de gestão

Durante a dinâmica, os profissionais cozinham e descobrem novas habilidades / Edy Fernandes

Durante a dinâmica, os profissionais cozinham e descobrem novas habilidades / Edy Fernandes

Gestores e analistas de recursos humanos participaram, na terça-feira (19), de um evento voltado para desenvolver e identificar habilidades dos colaboradores das empresas. O “Empreendendo como Chefe”, realizado no Sou Café, restaurante localizado no Centro Cultural Banco do Brasil, reuniu cerca de 20 profissionais que participaram de um treinamento de culinária com foco nos conceitos de gestão empresarial.

Idealizado pela BMF – Treinamento e Desenvolvimento, o “Empreendendo como Chefe” utiliza a prática da gastronomia para ajudar os gestores a encontrarem habilidades e competências técnicas dos colaboradores. A proposta é fazer com que os participantes, separados em grupos de até cinco pessoas, preparem uma refeição completa. A partir daí, eles podem compreender, na prática, os conceitos de planejamento, colaboração, organização e liderança.

De acordo com o idealizador, Roberto Noronha, o “Empreendendo como Chefe” foi criado no início do ano, com o objetivo de ser uma alternativa em treinamentos para os gestores. “Nós convidamos alguns profissionais para que eles possam participar de uma ‘degustação do evento’. Se eles gostarem da proposta, vendemos os treinamentos e todo o material para a empresa. É uma forma diferente de aplicar dinâmicas nas equipes, pois eles cozinham, mas não sentem a pressão de estarem sendo observados”, disse.

A proposta é vender o modelo da dinâmica para outras empresas / Edy Fernandes

A proposta é vender o modelo da dinâmica para outras empresas / Edy Fernandes

Para os participantes da dinâmica gastronômica, fica o aprendizado de que avaliações em equipe podem, sim, quebrar alguns protocolos. “É curioso. A gente não imagina que dá para aplicar tantos conceitos de gestão apenas preparando um prato”, disse o analista de RH, André Vinícius Lopes. Outro analista, Marcos Roberto da Paixão, destaca a informalidade do treinamento. “A gente percebe certa liberdade para discutir, questionar e tomar decisões. E isso é muito bom, pois a avaliação é feita sem aquela pressão que estamos acostumados”.

Essa edição do projeto foi produzida pela Versátil Agência de Eventos, empresa experimental dos alunos do curso de Gestão em Eventos, do Centro Universitário de Belo Horizonte – UNI-BH. Coube à turma realizar os contatos com os gestores e gerenciar a logística do evento. Para a professora Viviane Borges “essa é uma oportunidade para que eles aprendam a lidar com situações adversas e entendam a dinâmica da produção de eventos. A turma é avaliada em outros aspectos, como atendimento ao cliente, organização, pró-atividade”, explicou.

Anúncios