Encontro de Twitteiros debate relação do homem com a tecnologia e a ciência

Posted on 19/10/2013

0


ETC_BH abordou os avanços e os perigos desse novo cenário da sociedade

Evento aborda as relações do homem com a tecnologia

Evento aborda, com olhar da psicanálise, as relações do homem com a tecnologia e a ciência

A Estação do Saber realizou, no sábado, 19, a 12ª edição do Encontro de Twitteiros Culturais de Belo Horizonte, o ETC_BH, evento que reúne amantes das redes sociais para debaterem a relação do homem com os recursos tecnológicos. Usuários do Twitter e especialistas conversaram, a partir dos conceitos da psicanálise, sobre a influência que esse novo cenário exerce na vida das pessoas.

Com o tema “Quais os efeitos e consequências da tecnologia na vida das pessoas?”, especialistas apresentaram seus conceitos e teorias a respeito dessa nova tendência. Participaram desse encontro os psicanalistas Áureo Beneti e Henri Kaufmanner, além da bióloga Patrícia Sampaio Veras, do geógrafo Bernardo Jeferson de Oliveira e do psicólogo Romildo do Rêgo Barros. A mediadora do debate foi a jornalista Maria Amélia Ávila.

Os recentes avanços da ciência e da tecnologia têm pautado diversas conversas. Uma das mais integrantes diz respeito aos novos rumos que a Biologia tomou no século XXI. Células-tronco, clonagens, reprodução assistida e mapeamento do genoma humano são apenas alguns dos exemplos de como esse ramo do conhecimento tomou proporções quase que inimagináveis. O progresso teve impacto direto na vida do homem e na maneira como ele se relaciona.

“O elemento do ‘novo’ é o ponto central das discussões, e os efeitos que ele causa devem ser vistos de muitos planos. A nossa era está se constituindo sob a perspectiva de um nó que nos desafia, a cada nova invenção, a compreender o ambiente e as rápidas transformações que ele vem sofrendo”, disse Romildo do Rêgo Barros, que também apontou um futuro inatingível, em que a perfeição, prometida pela tecnologia, será apenas mais uma utopia.

Apesar de todos os progressos no campo da ciência, o debate também abriu espaço para o novo cenário do mundo virtual. A participação ativa da Geração Y nas redes sociais foi um dos temas mais discutidos do ETC_BH. Para Henri Kaufmanner “as pessoas estão mais sozinhas. Essa solidão pode ser apaziguada se o sujeito entra no Facebook e passa a publicar. E elas fazem sem perceber, em alguns casos, pois já existe essa automação entre homem, máquina e rede”.

Para essa relação automática, os participantes buscaram referências em Freud, que apresentou um conceito que se aplica muito bem nos dias de hoje: compulsão à repetição, que normalmente ocorre quando o indíviduo realiza atividades ou determinadas funções sem perceber. “É como se ligassem um botão, e as pessoas caíssem em uma rotina de repetição. Isso fica bem claro quando você pega um celular para acessar a rede social, mas o faz sem perceber”, explicou Áureo Beneti.

Com muito mais perguntas do que respostas, a 12ª edição do ETC_BH foi marcada por uma série de análises e provocações sobre a ciência e o uso da tecnologia. Apesar das longas conversas, a questão principal ainda ficou no ar, já que, para os especialistas, a internet não rompeu com as barreiras da humanidade. Ela criou um cenário diferente e, como consequência, transformou todos em produtos de um avanço tecnológico que ainda pode apresentar muitas armadilhas.