Projeto com foco no turismo visa combater a violência contra crianças e adolescentes durante as Copas

Posted on 18/12/2012

0


BH Turismo: Infância Protegida, iniciativa da AMAS, em parceria com o trade turístico de Belo Horizonte pretende conscientizar o setor e aumentar a proteção às crianças e adolescentes.

O presidente da AMAS, Ayres Mascarenhas, discursa durante o lançamento do projeto.

O presidente da AMAS, Ayres Mascarenhas, discursa durante o lançamento do projeto.

A Prefeitura de Belo Horizonte e a Associação Municipal de Assistência Social (AMAS), em parceria com o Comitê Executivo Municipal das Copas, lançaram nesta terça-feira, 18, o projeto “BH Turismo: Infância Protegida”, uma iniciativa que tem como objetivo sensibilizar e capacitar empresas do setor turístico para a promoção dos direitos das crianças e adolescentes além de prevenir situações de violência e exploração sexual. O lançamento do projeto, realizado no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), contou com a presença de autoridades municipais e representantes do trade de turismo da capital.

Com a realização da Copa das Confederações, em 2013, e a Copa do Mundo, em 2014, Belo Horizonte receberá uma média de 180 mil turistas estrangeiros e 380 mil brasileiros, segundo dados do Ministério do Turismo. Atender bem aos visitantes não é a única preocupação. O cuidado com as crianças e os adolescentes, durante este período, também é prioridade para os organizadores. Uma das propostas do BH Turismo é mobilizar a rede hoteleira da capital e conscientizar todos os colaboradores para que práticas tidas como suspeitas sejam identificadas e denunciadas.

Segundo o presidente da AMAS, Ayres Mascarenhas, as Copa das Confederações e do Mundo atrairão um número elevado de turistas à capital, mas as práticas de prevenção não devem se concentrar apenas nos dois eventos. Segundo Ayres, “a preocupação com casos de abuso e violência independe da realização das Copas aqui em Belo Horizonte. Elas servem para nos deixar mais alertas, já que pessoas com outros costumes visitarão nossa cidade. Mas eu acredito que o combate ao crime sexual contra crianças e adolescentes deve ser uma ação contínua e intensificada”, disse.

O projeto “BH Turismo: Infância Protegida” irá realizar ações de formação junto às instituições do trade turístico e da segurança pública para a promoção dos direitos e prevenção de situações de violência contra crianças e adolescentes. Foram elaborados manuais de boas práticas, desenvolvidos com o apoio da ONG Childhood Brasil, divulgando ações e condutas que promovem a proteção de crianças e adolescentes. Os manuais serão disponibilizados para os setores de hotelaria, alimentação, agência de viagens, segurança e transporte, com orientações específicas para cada setor. Além disso, as próprias crianças serão orientadas.

De acordo com Mascarenhas, a mobilização das crianças e adolescentes também é fundamental para que o projeto cumpra todos os seus objetivos. “O problema (abuso e exploração sexual)existe antes da Copa. Nossa proposta é refletir e, em seguida, agir sobre ele. Hotéis, restaurantes e bares precisam estar cientes disso, mas, acima de tudo, nossas crianças. Elas são as principais vítimas, e merecem todos os cuidados. Por isso, também desenvolvemos manuais para elas, mas com uma linguagem mais direta e objetiva, para alertar e educar as crianças. Dessa forma. elas também saberão identificar situações de risco”, finalizou.

A coordenadora do Comitê Executivo das Copas, Flávia Rohlfs, ressaltou que o assunto turismo sempre esteve presente nas reuniões da comissão. Segundo Flávia, os organizadores têm se empenhado ao máximo para realizar um evento que deixe um legado positivo para a população. “O grande desafio das cidades é pensar a infraestrutura para receber os turistas, organizar eventos que sejam agradáveis, mas acima de tudo, visar a sustentabilidade das ações e decisões que serão tomadas. É importante que aquilo que já tem sido feito para receber as Copas retorne, de maneira positiva para a sociedade”, destacou.

O projeto “BH Turismo: Infância Protegida” é um desdobramento da Campanha 2012 de Enfrentamento à Violência Sexual Infantojuvenil lançada, em fevereiro, pelo Programa de Ações Referenciais de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes (PAIR). A proposta é sensibilizar a população sobre a importância do problema e incentivar a denúncia desse tipo de abuso. Os principais canais utilizados são o Disque 100 e o Conselho Tutelar.

Anúncios
Posted in: Cidades, Política