Raquel Pacheco participa de lançamento de livro

Posted on 02/06/2012

0


Mais conhecida como Bruna Surfistinha, a ex-garota de programa esteve em Belo Horizonte para o lançamento da obra “Amor na Zona”.

Segundo Geraldo Maurício, a presença de Raquel Pacheco no lançamento do livro representa a visão feminina da prostituição.

Uma série de histórias de um grupo de amigos que se aventuraram durante a juventude por bordeis. Essa é a temática do livro “Amor na Zona”, organizado por Geraldo Maurício e que conta com relatos de diversos escritores e amigos do autor. O lançamento da obra ocorreu no último sábado, 2, dia internacional da prostituta, na livraria Mineiriana, na Savassi, e contou com a presença da DJ, empresária e ex-garota de programa, Raquel Pacheco, mais conhecida pelo pseudônimo de Bruna Surfistinha.

A ideia de organizar o livro “Amor na Zona” surgiu em 2008, durante uma festa entre amigos. Após algumas conversas, ele decidiu organizar a obra. “A gente pode até chamar de um ‘livro de memórias’, o ‘Amor na Zona’, mas são memórias mais pesadas. Na verdade, são histórias de um monte de velhos que, depois de muitos e muitos anos frequentados as zonas do interior e da capital, decidiram reunir todas as histórias vividas em um livro”, explica Geraldo Maurício.

Ainda segundo Geraldo, “a presença da Raquel é muito interessante. Ela não participa do livro, mas ficou conhecida no país por contar suas histórias durante a época em que era garota de programa. Achei interessante o contraste que daria se ela aparecesse aqui. O nosso livro tem uma visão masculina do mundo das casas de tolerância. A Raquel, por ser mulher, tem outra visão. Enquanto a gente fala sobre as nossas experiências com várias prostituas, a Raquel conta a história de uma prostituta que teve vários clientes”, explica Geraldo Maurício.

Para Raquel Pacheco, o livro tem uma visão masculina do universo da prostituição.

Para Raquel Pacheco, que leu a obra antes do lançamento, a visão dos homenssobre o universo da prostituição é muito peculiar. “Eles têm essa fantasia com as garotas de programa, existe esse mistério para eles. Dá para perceber muito bem no livro”, diz. A empresária disse estar muito satisfeita com o convite feito. “Fiquei muito lisonjeada com o convite e, também, com a lembrança. As pessoas ainda têm uma visão muito preconceituosa da prostituição, mas, aos poucos, muitas garotas estão conseguindo algum respeito”, finalizou.

Fotos: Edy Fernandes

 

Anúncios
Posted in: Literatura