Nova exposição de Mauro Silper aborda cenários urbanos

Posted on 31/05/2012

0


“Intracenas” faz referência às constantes mudanças na paisagem das metrópoles e como o homem se encaixa nesse ambiente.

Intracenas, de Mauro Silper, aborda as mudanças nos cenários urbanos

“A cidade não mora mais em mim”. Esses versos da canção “Assentamento”, de Chico Buarque, serviram de inspiração para o novo trabalho do artista plástico Mauro Silper: a exposição individual “Intracenas”, série de pinturas que abordam o fenômeno da conurbação, processo que dá origem à formação das grandes regiões urbanas das cidades. O lançamento da exposição ocorreu na última terça-feira, 29, na Galeria de Arte Beatriz Abi-Acl, no bairro de Lourdes, região centro-sul de Belo Horizonte.

Cerca de 30 obras, entre painéis pintados em acrílica sobre pranchas de Eucatex e desenhos aquarelados feitos em acrílica sobre cartão flexcot, compõem a exposição de Silper. O artista conta a história da evolução das cidades por meio do crescimento acelerado e a presença do cinza nas paisagens. “Depois de pensar na música do Chico e definir minha linha de pesquisa, optei por abordar essa questão urbana. A minha arte fala um pouco do bucólico, da relação humanaCerca de 30 obras compõem a exposição de Silper. com as cidades e dessa ‘invasão’ do concreto, que é sempre agressivo”, disse Silper.

E essa relação do homem com o urbano dá título à obra de Mauro. Segundo Silper, “Intracenas” aborda o conceito de “estar no âmago, no interior, dentro da cena, ao ponto de uma se ligar à outra em composições e intenções”, explica. O novo cenário de Belo Horizonte também é interpretado por Mauro, mas de forma subjetiva. Em uma das telas é possível perceber alguns traços da capital, como a Igreja de São Francisco na Pampulha, o edifício Niemeyer na Praça da Liberdade, o viaduto Santa Teresa, além de outros pontos corriqueiros da capital.

“Intracenas” aborda o conceito de estar no âmago, no interior, dentro da cena, ao ponto de uma se ligar à outra em composições e intenções.

Algumas pinturas registram o êxodo para outros lugares, cada vez mais distantes das pessoas. Diferentes paisagens urbanas vão se formando e criam a ilusão do progresso e da vida melhor. A proposta de Mauro, com a exposição “Intracenas”, é mostrar que os espaços verdes dos “grandes centros urbanos estão sendo esmagados. As áreas rurais quase não existem mais, e isso se reflete tanto no meu trabalho como nas cidades”, aponta.

Sobre Mauro Silper

Autodidata, Mauro Silper está sempre pesquisando novas técnicas, visitando museus, exposições e conhecendo obras de outros artistas. Mesmo que não tenha uma exposição em vista, ele pinta todos os dias. “É o meu ofício”, diz.

Com cinco obras no acervo do Museu Histórico Abílio Barreto, em Belo Horizonte, Mauro Silper foi premiado duas vezes pela Associação Paulista de Belas Artes: em 2010, recebeu Medalha de Ouro no XIII Salão da Marinha; em 2009, o Prêmio APBA.

Também recebeu com Menção Honrosa no XIX Salão Brasileiro de Belas Artes de Ribeirão Preto, SP, em 2010. Ao longo de sua carreira como pintor já participou de inúmeras mostras coletivas e realizou exposições conjuntas e individuais.

“Intracenas”, de Mauro Silper, fica aberta ao público até o dia 23 de junho, das 9h às 18h, de segunda a sexta-feira, e das 9h às 13h, aos sábados, na Galeria de Arte Beatriz Abi-Acl, rua Santa Catarina , 1155, Lourdes. Outras informações: www.galeriabeatrizabiacl.com.br.

 

Fotos: Edy Fernandes

Anúncios
Posted in: Cultura