Laura Conrado lança seu primeiro livro para o público jovem

Posted on 18/04/2012

1


Após dois trabalhos publicados para crianças, a jornalista e escritora lança ‘Freud, me tira desta’, obra em que ela escreve sobre os conflitos de uma garota que se apaixona por seu terapeuta

Em seu terceiro livro, Laura Conrado aposta no universo feminino em sua primeira publicação para o público jovem.

Depois de começar a carreira escrevendo livros para o público infantil, a jornalista Laura Conrado se aventura agora em uma linguagem. “Freud, me tira desta” é o primeiro romance para jovens da autora e terceira obra publicada. Em seu último trabalho, Laura mistura um pouco de fantasia e vida real ao contar a história de uma garota que passa por vários conflitos. O lançamento do livro ocorreu na quarta-feira (18), na Leitura Megastore do Pátio Savassi, e contou com a presença de amigos e familiares da escritora.

Catarina, uma jovem que passa a morar sozinha em função do novo emprego, é dona de uma vida amorosa catastrófica e se sente disposta a rever suas escolhas, para tanto, busca ajuda na psicoterapia. Como se não bastasse o dolorido processo de conhecer a si mesma e de mergulhar na relação com seus familiares, Catarina se apaixona pelo terapeuta. No auge de sua angústia, a personagem recorre ao pai da psicanálise para sair dessa situação complicada. Por meio das confusões de Cat, o leitor vai rir e se identificar com a trajetória de autoconhecimento e aceitação da personagem.

Esses tumultos na vida de Cat não são apenas imaginação de sua criadora. A vida da protagonista da história se confunde com o próprio caminho de Laura, que passou por um momento delicado quando também se apaixonou por seu terapeuta. “Eu tinha 22 anos e busquei a terapia para me livrar de um lado ‘infantilizado’ que eu tinha. Durante as sessões, uma paixão platônica foi crescendo e eu não sabia muito bem como lidar com tudo aquilo”, conta.

Para Laura, a mudança de linguagem de seu trabalho representa o amadurecimento não só da carreira, mas também da vida da autora. Após viver esse amor não correspondido pelo terapeuta, ela acabou por se conhecer melhor. E Esse autoconhecimento influenciou diretamente na mudança de seu estilo literário. “Eu brinco que sempre atraí relacionamentos fracassados, a paixão pelo terapeuta é um dos exemplos. Depois disso, fui tentando entender algumas coisas, me entender como mulher, na verdade. E esse desejo de me descobrir acabou refletindo na mudança do meu estilo”, explica Laura, que além “Freud, me livra desta” já publicou as obras infantis “Miguel e o Pão dos Anjos” e “Lendo com o papai e a mamãe”.

Laura Conrado, Freud e o universo feminino

Mineira de Belo Horizonte, Laura Conrado mostrava, desde a criança, habilidade em criar histórias. O gosto pela escrita e pela leitura levou à graduação em Jornalismo. Filha de uma psicóloga e irmã de uma estudante de psicologia, a “presença” do psicanalista em sua casa sempre foi muito forte.

Mas, antes de buscar no trabalho de Sigmund Freud referências para compor seu livro, Laura explica que o universo feminino sempre chamou a atenção dela. “O próprio Freud já disse que nunca conseguiu entender as mulheres. No meu livro, eu quis explorar esse universo das mulheres que é sempre tão complicado, mas, ao mesmo tempo, cheio de possibilidades”, disse.

Para um futuro não muito distante, Laura revelou um grande desejo lançar um livro só de crônicas, envolvendo, é claro, o mundo das mulheres. “Vou escrever mais algumas histórias sobre pirraça feminina, ciúmes de amiga, de namorados e mais alguns assuntos que fazem parte do nosso cotidiano”, finalizou.

Anúncios
Posted in: Literatura