Autor de a ‘A vida quer é coragem’ lança livro em Belo Horizonte

Posted on 15/03/2012

0


Mais um livro-reportagem do que uma biografia, “A vida quer é coragem” conta a história de Dilma Rousseff de maneira objetiva, embora o autor não deixe de expressar sua opinião em determinados pontos do livro. A trajetória da primeira mulher eleita presidenta do país é cheia de recomeços, lutas e outras peculiaridades que o leitor vai descobrindo a cada página.

O autor trabalhou como assessor de Dilma na Casa Civil e, também, durante a campanha eleitoral de 2010.

O jornalista Ricardo Batista Amaral, autor do livro “A vida quer é coragem”, que narra a trajetória pessoal da primeira presidenta do Brasil, Dilma Rousseff, esteve em Belo Horizonte na última quinta-feira (15) para fazer o lançamento da obra, na Livraria Mineiriana, na Savassi. O autor recebeu velhos amigos e convidados para uma sessão de autógrafos. Mais um livro-reportagem do que uma biografia, “A vida quer é coragem”, que teve o título inspirado em um trecho do livro “Grande Sertão: Veredas”, de Guimarães Rosa, conta a história de Dilma Vana Rousseff Linhares, militante na ditadura, ex-ministra-chefe da Casa Civil e a primeira mulher eleita presidente do Brasil.

O livro narra a história de Dilma Rousseff desde a infância e adolescência em Belo Horizonte aos primeiros passos na militância política em organizações que combateram a ditadura militar, a vida na clandestinidade, os anos de prisão e tortura, o recomeço, em Porto Alegre, onde ela participou do movimento pela anistia e da luta pela redemocratização; o encontro com Leonel Brizola, na fundação do PDT, e a construção da carreira administrativa, como secretária municipal de Fazenda em Porto Alegre, e secretária de Minas e Energia do Rio Grande do Sul, a trajetória se completa com o ingresso de Dilma no PT e o trabalho ao lado do presidente Lula, na campanha eleitoral de 2002, no Ministério de Minas e Energia e na Casa Civil, até se tornar a primeira presidenta do Brasil.

Repleto de imagens raras e curiosidades, o livro aborda a trajetória de vida da primeira presidenta do Brasil.

Entre seus leitores, estão o ex-presidente Lula, o ex-primeiro-ministro de Portugal, Mário Soares, e o cubano Fidel Castro. O autor reuniu vasto material de pesquisa, numa narrativa que entrelaça a vida da presidenta e a história recente do Brasil. Imagens raras da infância de Dilma, encontros com amigos, bastidores da Casa Civil e, também, da campanha eleitoral de 2010, além de uma foto tirada em novembro de 1970 quando a presidenta tinha 22 e que faz parte do processo contra Dilma na Justiça Militar. Após 22 dias de tortura, ela respondia a um interrogatório na sede da Auditoria Militar do Rio de Janeiro.

De acordo com o autor, a abordagem dos fatos que marcaram a vida de Dilma foi feita de maneira objetiva, mas “sem deixar de expor minha opinião em alguns momentos do livro”, conta. Ainda segundo Ricardo, o livro surge em um momento extremamente oportuno para que a nova geração entenda o que acontecia com o país na época dos anos de chumbo, além de “contribuir para que os leitores, especialmente os mais jovens, conheçam os contextos políticos e sociais que levaram o Brasil a eleger sua primeira presidenta”, disse.

Sobre Ricardo Batista Amaral

Mineiro de Belo Horizonte, Ricardo começou sua carreira como jornalista na capital. Nos últimos 25 anos, trabalhou em Brasília como repórter político e colunista de veículos nacionais, como o Estado de S. Paulo, Época, Valor Econômico, entre outros, e repórter sênior da Agência Reuters. Foi, também, um dos assessores de Dilma Rousseff, na Casa Civil e na campanha presidencial, e desde então trabalha exclusivamente em projetos editoriais. A ideia de contar a trajetória de Dilma Rousseff surgiu logo após a eleição da presidenta. Durante pouco mais de um ano, Ricardo recolheu material para compor sua obra. Ele esclarece que o livro não é uma biografia autorizada.

Anúncios
Posted in: Literatura